O verdadeiro investidor não nasce investidor, ele se forma a partir das escolhas que faz ao longo da vida.

Perguntar vem antes de responder. Economizar vem antes de gastar. Guardar vem antes de investir. O verdadeiro investidor não nasce investidor, ele se forma a partir das escolhas que faz ao longo da vida. Em praticamente todas as áreas de sua vida.

Se não começa com herança, partindo de um patrimônio razoável ou maior do que o da grande maioria, precisa começar com o que tem: pouco dinheiro, mas muita disposição para aprender. E errar. Não, você não precisa de muito dinheiro para se tornar um investidor. Precisa de paciência. Disciplina. Autocontrole. Determinação. Foco. Prática, muita prática. O resultado disso tudo serão erros e mais erros, mas que servirão para aumentar sua experiência e seu retorno.

Investidor de verdade: escolhas fazem toda diferença
Enquanto investidores, pequenos ou grandes, precisamos entender que o mais crítico não é o produto escolhido, mas o fato de fazer a escolha de guardar dinheiro sempre. Quando separamos parte da nossa renda pensando no futuro, escolhemos cuidar bem de nós mesmos para sempre.

Para conseguir juntar dinheiro, você certamente já sabe que terá que se organizar melhor. Controlar as finanças pessoais através de uma ferramenta é tão importante quanto fazer escolhas melhores e mais conscientes envolvendo seu patrimônio.

Seja uma planilha, app ou mesmo uma agenda financeira, você precisa escolher cuidar bem do seu dinheiro todo santo dia. Por toda a sua vida. Desde já. Antes de se tornar investidor, você precisa elevar sua consciência e aceitar que lidar bem com o próprio bolso não é opcional.

Reforçando, a escolha mais importante que você deve fazer na sua vida financeira é guardar dinheiro. Qualquer quantia. Sempre que puder. Simples assim. O simples fato de juntar já faz de você um investidor, portanto parabéns! Mas e agora?

Agora vem a parte mais difícil. Não adianta acenar com a cabeça tipo “OK Navarro, entendi e vou fazer”. Pratique. Faça agora mesmo. Guarde pouco. Bem pouco, mas guarde. E fica mais difícil: você será capaz de juntar todo mês, por muitos e muitos anos? Escolha!

Investidor de verdade: errar ajuda a aprender
Você vai reparar ao longo da sua jornada enquanto investidor que escolhas trazem consigo consequências. Pois é, não é novidade nenhuma que tudo aquilo que a gente faz, tem implicações. No trabalho, na vida pessoal, normal, certo?

Com as finanças, acontece a mesma coisa, mas nem sempre nos damos conta de nossa responsabilidade. Se guardar é a decisão mais importante da sua vida financeira, aprender com ela é o que fará a diferença em termos de evolução (ou não) do patrimônio líquido com o tempo.

Quero ser o mais direto possível neste ponto. Você vai errar bastante. Vai perder dinheiro. Vai perder oportunidades de ganhar dinheiro. É chato ler tudo isso, não é mesmo? Então leia de novo. Você precisa assimilar e aceitar o fato de que vai errar.

Agora vem o mais instigante: quanto você vai aprender com os próprios erros e os de outras pessoas/investidores? Porque o erro é a única certeza. O seu comportamento diante dele é… adivinhe. Uma escolha!

Investidor de verdade: foco em persistir
O ingrediente fundamental para o sucesso financeiro de longo prazo é o tempo. A esta altura, você já entendeu que é o tempo bem aproveitado; tempo acompanhado de bom senso, atitude e muita persistência para manter os bons hábitos.

Quanto antes você começar a guardar dinheiro, mais será capaz de aproveitar o efeito positivo dos juros compostos e menos sofrerá os efeitos da volatilidade. Pouco dinheiro guardado com persistência faz mais diferença que um aporte esporádico em um momento de lucidez.

Eu sempre defendo que o horizonte de investimento ideal é “para sempre”, com as prioridades devidamente respeitadas ao longo do caminho (e isso inclui realizar sonhos, até mesmo os de consumo). Ou seja, você não deve guardar para isso ou aquilo e pronto. Deve guardar para sempre.

Atenção para diferenciar persistência de insistência. Persistir é sinônimo de aprender durante jornada, mesmo que isso significa dar alguns passos atrás antes de avançar; insistir fica muito mais como uma coisa desenfreada à frente, e isso pode ser complicado porque pode deixar de lado valores e princípios.

Conclusão
Se você acha que eu “viajei” demais para falar que investir deveria ser tão simples quanto beber água, você tem razão. É óbvio que guardar dinheiro é fundamental para realizar objetivos e progredir, assim como é óbvio que beber água faz bem para a saúde.

O óbvio é tão simples que deveria ser automático. O problema é que esquecer o que é simples é tão fácil quanto fazer alguma coisa a respeito. Não é todo mundo que toma a quantidade mínima necessária de água. São poucos os que controlam suas finanças e guardam algum dinheiro.

Faça o que precisa ser feito. Agora. Separe um pouco de dinheiro quando receber seu salário. Guarde o que for possível hoje ainda. Não espere “a melhor hora”, a “crise passar” ou “o dia em que você vai finalmente ganhar mais”. Beba água todo dia. Você já sabe que isso é importante.