Além de crime ambiental (este animal é protegido por lei), matar macacos é uma injustiça e um tiro no próprio pé.

Este animal é o nosso guardião protetor contra a Febre Amarela.

Entenda o  porquê.

 

 

A Febre Amarela é uma doença infecciosa viral que pode ser transmitida de duas formas:

  • Febre Amarela Urbana
  • Febre Amarela Silvestre

Febre Amarela Urbana

O mosquito Aedes aegypti (o mesmo que transmite a dengue, Zika e Chikungunya), ou o Aedes albopictus picam humanos doentes, se infectam e ao picar outros humanos, transmitem a doença.

Febre Amarela Urbana não é registrada desde 1942.  Todos os casos confirmados nos últimos anos têm sido de Febre Amarela Silvestre.

Febre Amarela Silvestre

O hospedeiro do vírus na forma Silvestre são os macaquinhos como o o bugio e o sagui.

Mosquitos do gênero Haemagogus Sabethes picam macacos contaminados, se infectam e depois picam o ser humano passando a doença.

Esses mosquitos vivem apenas na mata, e o ser humano nesses casos é um hospedeiro acidental.

Como atuar ao presenciar crimes contra macacos
DENUNCIE às autoridades (Secretarias Municipais e Estaduais, Ibama, Polícia Ambiental/Florestal).
Além disso, é possível denunciar a matança ou maus tratos de macacos pela Linha Verde do Ibama (0800 61 8080).
Na denúncia, podem ser encaminhados vídeos e fotos que auxiliem na identificação do crime e de quem o cometeu, por meio do e-mail linhaverde.sede@ibama.gov.br.

Como atuar ao presenciar um macaquinho vivo sadio e livre

É importante que a gente mantenha esses animais sadios e dentro do seu ambiente natural.

  • NÃO capturar;
  • NÃO alimentar;
  • NÃO retirar do seu habitat;
  • NÃO transportar para outras áreas;
  • NÃO agredir;
  • NÃO matar.